terça-feira, 8 de outubro de 2013

O Ladrão de Raios

   Olá gente! Hoje farei a sinopse de um livro que realmente fez um enorme sucesso durante algum tempo. Com vocês: O Ladrão de Raios




   Bem, como sabem, existem VÁRIAS resenhas deste livro, mas decidi criar minha própria sinopse. Aí está:

   Suponha-se que você seja uma pessoa com certas dificuldades e problemas, como hiperatividade e dislexia. Agora imagine também que sua sorte é muito pouca e por você estar sempre no lugar errado na hora errada você acaba se metendo em confusão, e por isso acaba sendo expulso de todos os colégios que você já foi.
   Agora pense que em um dia qualquer acontece o seguinte: sua professora vira uma criatura monstruosa, com cerca de 2.0 m de altura, e então um velho te joga uma caneta que, na sua mão, vira uma espada de bronze, do tamanho de três réguas juntas e, usando ela, você transforma o monstro em cinzas e depois descobre que para alguns aquilo é completamente normal. Esta é a introdução da história de Percy Jackson, um garoto que, com apenas 12 anos, descobriu ser filho de um deus e, ao mesmo tempo, foi acusado de roubar o raio mestre do ser mais poderoso do Olimpo. E, para provar sua inocência, terá que enfrentar coisas mais perigosas que uma professora monstro com presas e garras afiadas.



   E então, gostaram? Espero que sim. Lembrem-se de dar sua opinião abaixo. Adeus!


-Will


sábado, 7 de setembro de 2013

História do Rei Transparente

          Acho que o que eu tenho a dizer sobre esse livro, é que ele tem um pouco de literatura fantástica (será mesmo?) e um pouco de romance histórico. Aliás, é interessante notar que, como romance histórico, a autora dá uma achatada na História para caber todos os acontecimentos que ela queria na vida da mesma personagem. Então é bom saber que ninguém viveu o suficiente para ver tudo o que acontece no livro, mas nós termos a oportunidade de "ver" tudo isso acontecer é muito legal.


Tá, o livro é meio estranho, dependendo da sua expectativa, mas é gostoso de ler.



Sobre a sinopse: não tem sinopse na contracapa :O
          Estratégia muito usada hoje, substituíram a sinopse em seu espaço tradicional por comentários acerca do livro e da autora. E, pasmem, um dos comentários não é nem sobre esse livro, é sobre outro da mesma autora õ.ô E nem se preocuparam em disfarçar... Eu, particularmente, achei bem esquisito. 

          Enfim, eu não sei vocês, mas esses comentários em contracapa de livro não me empolgam tanto quanto uma boa capa, um bom nome, um assunto pelo qual eu me interesse, uma boa sinopse... Eu me interessei mais pelo livro pelo cavaleiro da capa, o nome engraçado e o fato da autora ser espanhola. Me fez pensar que o livro se passava na Espanha medieval, quando, na verdade, se passa na França (e acreditem, pra mim faz bastante diferença :P). Claro, um comentário positivo vindo de Mario Vargas Llosa, que já ganhou um Nobel de literatura, deve significar alguma coisa (mesmo que para outro livro), mas sei lá... O que vocês acham? 

Como não considero, nas minhas avaliações, o que consta na orelha, vamos pular então a avaliação da sinopse original.

Livro: História do Rei Transparente
Editora: Ediouro
Autora: Rosa Montero
Nome Original: Historia del Rey Transparente
Tradução: Joana Angélica d'Avila Melo

Sinopse:
          Leola é camponesa. Seu pai é camponês, seu irmão é camponês, seu noivo é camponês. Nada diferente do que se esperaria de uma família na França do século XII. A guerra, no entanto, leva tudo o que tem. Só resta a ela, como mulher sozinha, separada do homem que ama, lutar para sobreviver e, quem sabe, tentar tê-lo de volta. Mal sabe ela que, protegida sob uma armadura masculina, é que poderá viver como nunca sonhara.


Bem, para quem resolver se aventurar e ver por si mesmo: boa leitura!

Amirah

P.S.: Depois que vi o quão pequena ficou minha sinopse, surgiu uma sugestão para o problema que apresentei ali em cima (das contracapas sem sinopse): por que não pôr uma pequena sinopse junto aos elogios mais relevantes ao livro?

sábado, 31 de agosto de 2013

Bruxos e Bruxas

   E aí galera, belezinha? Hoje estuo aqui para dar uma sinopse para o livro Bruxos e Bruxas:



   Antes, é claro, eu queria fazer a observação de que, a sinopse é ótima. Realmente, se quiserem podem até ler a original ao invés da minha, é realmente muito boa.

   Mas, como isto é um blog de sinopses, eu irei postar a minha sinopse para este livro. Aí vai:




   Imagine-se em um mundo onde você não pode fazer nada: sem leitura, sem internet, sem arte. Esse é o mundo que é imposto pela N.O., ou em outras palavras, a Nova Ordem.
   Este mundo é bem injusto, pois se você estiver com menos de 18 anos, já é motivo para ser suspeito de traição, e em seu julgamento você nem pode dizer uma palavra.
   A história começa quando os irmãos Allgood são acusador e traição e bruxaria. Agora, eles vão ter de ser fortes e enfrentar tudo para provar que são inocentes. A única coisa que eles não esperavam...

...era que eles não fossem de fato inocentes...


   E então? Curiosos? Espero que sim, pois o livro é ÓTIMO! Bem, espero que tenham gostado, por favor comentem, e avaliem a postagem, adiós!



-Will

domingo, 18 de agosto de 2013

O Senhor dos Ladrões

Daqui a pouco vão achar que eu só leio livros sobre ladrões :P
But this is a different ball game
Cidade de Ladrões e O Senhor dos Ladrões não têm nada a ver. Se vocês lerem a postagem sobre o "Cidade de Ladrões" (sobre o qual não vou discorrer, afinal, já falei sobre ele) e depois essa daqui, perceberão isso. Enfim, na minha opinião, o Senhor dos Ladrões tem tudo o que uma obra infanto-juvenil tem que ter: personagens legais, aventura, mistérios que vão se desdobrando de uma maneira interessante, tios maus... Com um complemento emocional e tocante (não gosto de "tocante", mas a palavra fofo ia fazer o livro parecer bobo) da questão adulto-criança, o que pode ser percebido logo de cara, pelo poema que abre a história (um que eu adoro e que vou fazer questão de copiar pra cá). Não é pra menos que rendeu alguns prêmios à autora. [que mais tarde se superaria com a linda trilogia do Mundo de Tinta]



Sobre a sinopse: o que vemos na contra-capa do livro não é nada de mais. Sim, contém alguns spoilers. Mas é basicamente isso: o feijão com arroz das sinopses. Até aí, tudo bem, tranquilo. Mas o pior de tudo é o que eu descobri quando pesquisava algumas informações para o blog. O site da Companhia das Letras, que editou o livro no Brasil, conta tudo D: Uma sinopse curta, sem graça e com muitos spoilers. Nem procurem essa sinopse antes de ler o livro. Bem, se você quer saber do que se trata a história, escrevi minha própria versão :) (quanta prepotência a minha, haha)

Livro: O Senhor dos Ladrões
Editora: Cia. das Letras
Autora: Cornelia Funke
Nome Original: Herr der Diebe (pois é, ela é alemã)
Tradução: Sonali Bertuol

Sinopse:
          Não é comum o herói de uma criança de cinco anos ser um ladrão. Porém, como poderia ser diferente se Bo e Próspero deviam a Scipio tanta coisa?
          Após a morte da irmã, a rica e insuportável Esther percebeu que o sobrinho Bo, com seus cabelos loiros e sua carinha de anjo, poderia ser o filho que ela não tinha. Mas apenas ele. Seu irmão mais velho Próspero seria mandado para um internato. Por isso eles fugiram, indo em direção à maravilhosa Veneza, presente em tantas histórias contadas pela mãe. 
          Não seria nada fácil, contudo, sobreviver nas ruas e ao vento frio do outono se eles não tivessem sido  acolhidos no Esconderijo das Estrelas, por outras três crianças. Era Scipio quem os mantinha ali, através dos produtos de seus roubos.
          Por essa razão, quando a misteriosa proposta de um roubo ofereceu em troca uma generosa recompensa, pareceu tão tentadora. É claro, não ia ser nada fácil, ainda mais com o detetive particular Victor em seu encalço. Mas Scipio vai querer mostrar que não escolheu o título de Senhor dos Ladrões à toa.


O poema que funciona como prefácio:

Os adultos não se lembram mais de como era
ser criança.
Mesmo quando dizem que sim...
Eles não lembram. Acredite.
Esqueceram tudo.
Como o mundo parecia grande.
Que podia ser difícil subir numa cadeira.
Como era sempre ter que olhar para cima?
Esqueceram.
Não se lembram.
Você também vai esquecer.
Às vezes, os adultos falam sobre como era boa
a sua infância.
Eles até sonham em voltar a ser criança.
Mas com o que eles sonhavam quando eram crianças?
Você sabe?
Acho que eles sonhavam com o momento em que finalmente 
seriam adultos.

Esses detalhes tornam os livros da Cornelia Funke muito caprichados. Outro exemplo são as ilustrações que abrem, e às vezes fecham, os parágrafos, feitas por ela mesma.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Cidade de Ladrões

          Nem toda sinopse é ruim, né? Seria injusto a gente fazer esse blog sem dar chance para sinopses que já são originalmente muito boas. Escolhi uma para começar. O livro é Cidade de Ladrões, que eu particularmente gostei bastante (do livro e da sinopse). Considero como "sinopse original" a oferecida pela editora na contracapa do livro, ponto para a editora nesse caso. Até porque, nem sempre a sinopse da contracapa é a mesma dos sites da livraria. A desse livro que escolhi, por exemplo, que está no site da Saraiva, é ruinzinha (pra quem se interessar, é só ver aqui: http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/2608843), preferi a original mesmo.



Livro: Cidade de Ladrões
Editora: Objetiva (série "ponto de leitura")
Autor: David Benioff
Nome original: City of Thieves
Tradução: Álvaro Hattner

Sinopse:
          A Segunda Guerra Mundial está em pleno curso. Em Leningrado, cidade sitiada pelos alemães, tudo pode acontecer. Cadáveres de paraquedistas caem do céu, canibais vendem carne humana no mercado, prédio desabam no chão, cachorros tornam-se bombas. Em meio a esse mundo fantástico e aterrador, dois jovens, Lev e Kolya, recebem uma missão impossível: encontrar uma dúzia de ovos para que a filha de um coronel russo tenha um bolo de casamento.
          Em uma cidade ode as pessoas mal têm o que comer, Lev e Kolya embarcam em uma caçada em busca do inatingível. Tendo como pano de fundo eventos marcantes da História, Cidade de Ladrões é uma narrativa emocionante, de ritmo cinematográfico, sobre coragem e amizada. É, também, uma comovente história sobre a descoberta do amor.

[não gosto de usar "comovente" :P, mas ok, o resultado final é bom]

Concorda? Discorda?
Marca sua opinião aí embaixo ;)

Amirah

sábado, 3 de agosto de 2013

Sinopse Sobre a Maga das Favelas

   Gente, e aí, beleza? Bem, vocês não esperavam que ficássemos parados o tempo todo, certo? Bem, vamos trabalhar. Eu queria começar mostrando uma sinopse apropriada para o livro O Clã dos Magos :



   
   Bem, para o caso de alguém quiser ver a sinopse original (que eu particularmente não achei tão ruim assim), vou deixar o link aqui:  http://1.bp.blogspot.com/-Z2mCHAwDM30/UAwgFBiGHzI/AAAAAAAAEeg/DCL9dAWZXh0/s1600/O+CL%C3%83.JPG

   Bem, vamos começar:



Há muito tempo, existia um reino chamado Imardin. Neste reino, existiam 5 classes sociais: a realeza, que era a mais alta; os magos, que eram totalmente fiéis ao rei; as Casas, que eram uma classe rica; o povo, que eram os de classe média; e os favelados, que mal eram considerados uma classe na verdade. Eles eram excluídos da sociedade e ficavam separados.
   Para se tornar um mago, são necessárias duas coisas: o primeiro, é pertencer a uma das Casas; o outro, é que um outro mago precisa "liberar" o poder de tal pessoa.
   Todo ano, durante o inverno, os magos faziam um evento chamado de "A Purificação". Neste evento, todos os magos da área se reuniam para fazer, como o próprio nome diz, uma espécie de "limpeza" na cidade. Para isso, eles fazem uma espécie de magia que, sozinha, consegue expulsar todos os favelados da cidade.
   Nossa história gira entorno de Sonea, favelada que, depois de ser expulsa de sua casa na cidade por guardas do rei, que achavam que havia muita gente ocupando a cidade, se juntou com seus amigos para apedrejar os magos. Estes, já conscientes que isso provavelmente aconteceria, formaram uma barreira mágica, para que tudo que tentasse acerta-los se dissipasse.
   Porém, enquanto os amigos de Sonea tentavam apedrejar os magos sem sucesso, esta pegou uma pedra, reuniu toda raiva que sentia naquele dia, em que fora expulsa de casa, e tacou a pedra. A pedra, surpreendentemente, atravessou a barreira e nocauteou um dos magos, acertando-o na têmpora. Sonea, estava bem assustada, a barreira devia ser tecnicamente impenetrável para ataques comuns, não tinha como Sonea ter acertado, a não ser que...

...ela tivesse usado magia.









-Will

terça-feira, 30 de julho de 2013

Apresentação 2

Prazer, Amirah.

Bem, você realmente não deve esperar que meu nome seja esse. Eu, pelo menos, nunca conheci nenhuma Amirah de verdade.

Mas conheci uma, quando lia um livro chamado "O quarto crescente".



Não, não é um livro sobre um quarto que cresce, apesar de terem feito essa piadinha diversas vezes quando eu estava lendo o livro. E não, ela não tem graça.

Vamos lá: esse é um blog sobre leitura. E qual é o lugar em que podemos ser qualquer coisa?
Então por que ser eu mesma se eu posso ser "linda daquele moreno das andaluzas, que não há vê-las sob as franjas de mantilhas acetinadas, com as plantas mimosas, as mãos de alabastro, os olhos que brilham e os lábios de rosa d'Alexandria sem delirar sonhos delas por longas noites ardentes", como as andaluzas do livro de álvares de Azevedo? Eu gosto de ser eu, mas aqui eu não preciso XD

E por que não ser Ângela, a amada de Bertram, no livro? Bem, se você já leu Noite na Taverna, sabe que as mulheres - e não apenas elas - do livro são um tanto depravadas. Não, não, isso não tem muito a ver comigo.

O Quarto Crescente também se passa na região da Andaluzia, na Espanha. Muito antes de Noite na Taverna, em uma Espanha medieval e muçulmana. 

Poderia também ser Layla, a protagonista do livro,  mas vamos combinar que "Amirah" é um nome muito mais legal, né? Além do mais, apesar de poder ser o que eu quiser aqui, a Layla é um pouquinho ~ousada~ demais. Eu não tenho essa capacidade :(

Então ficou assim: Amirah.

Bem, vou escrever sinopses dos livros que li, como é a proposta do blog. Mas o que eu leio?

Tento ler de tudo um pouco: romances românticos e policiais, boa literatura contemporânea, mas também best sellers de qualidade duvidosa. Amo infanto-juvenis. E adoro clássicos, tanto da literatura brasileira quanto da mundial, tendo entre os meus preferidos os Miseráveis, do lindo Victor Hugo.


Textualmente falando ele é lindo :P 


Meu ritual de leitura é: abrir o livro, cheirar. Folhear o livro, sentir a textura da página. Ler as apresentações e o prefácio, se ele o tiver. E então começar a leitura. Minha frustração com as sinopses é tão grande, que as excluí do meu ritual. E se eu não der sorte e pegar uma sinopse com spoilers? Quem  vai me fazer esquecer o que eu não devia saber? :'( Também não leio orelhas: elas contam demais. Esse espaço aqui é para que possamos ter acesso a sinopses seguras.

Então é isso, em breve começaremos a postar aqui. E lembrem-se: vocês têm total liberdade para mandarem suas próximas sinopses e para gostarem e desgostarem das nossas.

Amirah

terça-feira, 23 de julho de 2013

Apresentação 1

   E aí galera! Bem, eu sou um dos administradores deste blog, e estou aqui para me apresentar!



   Bem, vamos começar pelo meu pseudônimo.*
   Meu pseudônimo é Will, em homenagem ao personagem principal de um de meus livros favoritos.


*Pseudônimo; apelido; nome como vou ser chamado; nickname.


Hábitos de Leitura

   E nesta parte que eu digo meu gostos e hábitos literários.

   Bem, em relação aos meu hábitos, eu tenho até um que é bem normal, que é cheirar o livro assim que o compra :)



   Um outro hábito literário meu é sempre que passar a página, verificar e contar o número dela pra ter certeza que eu não pulei nenhuma página.


   Bom, esses são os meu hábitos.
   Agora irei falar sobre meu gostos literários. Bem, eu adoro, adoro mesmo livros de ficção infanto juvenil!


   Em geral, o que eu tenho lido é focado a esse tema. Mas é claro, eu já li livros de outros temas:


   Sherlock Holmes: Casos Extraordinários é um livro de ficção policial inglesa.

Minha Outras Administrações

   Bem gente, além deste blog literário, eu também tenho outro, em que falo sobre minha opinião sobre determinados livros, falo sobre a fama dele e ainda escrevo minhas próprias sinopses! O nome do blog é Colocação de Leitura e este é o link pra quem quiser ver:


http://www.colocacaodelivros.blogspot.com.br


Minha Opinião Sobre as Sinopses

   Em primeiro lugar, eu gostaria de dizer que eu não odeio as sinopses. Não tenho nada contra elas, chego até a gostar. Mas o problema não são as sinopses em geral, e sim determinadas sinopses Horríveis. Se um dia quiser escrever uma sinopse, evite colocar os elementos abaixo, pois são elementos de uma sinopse horrível:


-Spoilers

-Mal Desfecho

-Sem Introdução

-A Sinopse Ser Grande

   SIM! Eu acho ruim uma sinopse ser extremamente grande pelo seguinte motivo; sinopse é um resumo da história do livro. Sim, re-su-mo. Não, eu não gosto de sinopse extremamente grandes.


   Bem gente, é hora de ir


   Tchau! Não esqueçam de visitar meu outro blog e de comentar a postagem! Adeus!





-Will